VIVA MELHOR SABENDO JOVEM

REDE DE JOVENS NA FORMAÇÃO DO PROJETO VIVA MELHOR SABENDO JOVEM NO PARÁ

Na noite da sexta-feira, dia 13/05, aconteceu uma cerimônia de certificação pela conclusão das Oficinas formativas do Projeto Protagonismo de Adolescentes na Plataforma dos Centros Urbanos e Viva Melhor Sabendo Jovem. O projeto é fruto de uma parceria entre Instituto Peabiru, UNICEF, Prefeitura de Belém e Governo do Pará.

Integram este projeto adolescentes e jovens de bairros da periferia da Capital do Estado e de movimentos sociais como: Coletivo Tela Firme, Coletivo de Homens Trans, Grupo de Resistência de Travestis e Transexuais da Amazônia (GRETTA), Universidade Popular (UNIPOP), Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional (FASE) e da Rede Nacional de Adolescentes e Jovens Vivendo com HIV/Aids - RNAJVHA, mais conhecida como Jovens + Pará.

Dentre os 32 adolescentes e jovens formados, 4 são integrantes da Rede Jovens + Pará. Durante a cerimônia, o jovem Ewerton Souza, realizou um discurso representando os adolescentes e jovens vivendo com HIV/AIDS participantes do projeto, bem como a juventude positiva nos demais municípios do Pará. Foi uma fala de agradecimento mas também pontuando alguns posicionamentos políticos da RNAJVHA.*

Agradecemos grandemente aos parceiros do Projeto: Instituto Peabiru, Prefeitura de Belém e Governo do Estado. E especialmente agradecemos, abraçamos e celebramos com Ida Pietrycovski Oliveira, Antônio Carlos Cabral e Fábio Morais, do Escritório do UNICEF Belém. Obrigado pelo carinho e confiança de sempre!

Impossível deixar de agradecer a estas pessoas que, juntamente com amigos e familiares e tantas outras, nos apóiam em nossa formação durante este projeto e em nossa luta pela Vida todos os dias: Thaissa Scerne, Selli Rosa e Claudinho (Instituto Peabiru), Jair Santos (Coordenador do Fórum Paraense de ONG/Aids e Hepatites Virais), Maria Elias, Marco, Amélia, Helena, Lyah, Hugo, Bodã (lideranças das Redes +), Cledson Sampaio (Coordenação Municipal de DST, Aids e Hepatites Virais), Socorro Silva (Coordenação Estadual de Mobilização Social/SESPA), Cisalpina Cantão (Coordenação Estadual de Hepatites Virais/SESPA), Michele, Dra. Vera e equipe (Coordenação de Saúde do Adolescente e Jovem/SESPA), Jorge Bittencourt (Presidente da Fundação PROPAZ) e ao nosso Facilitador, companheiro de luta e amigo, Eduardo da Amazônia.

Além de a Jovens + Pará estar presente junto às escolas alcançadas pelas oficinas do projeto, ainda faz parte da equipe que estará levando ações de testagem de HIV, sífilis e hepatites B e C na unidade móvel do Projeto Viva Melhor Sabendo Jovem. O primeiro espaço escolhido é a Praça da República, no Centro de Belém, local de concentração da juventude aos domingos na cidade. O videoclipe do Projeto já está disponível no YouTube e a RNAJVHA participa de toda a idealização e produção do clipe, inclusive, da composição da música tema.

Concluímos esta etapa, iniciamos outra. Agora aptos, ávidos, empoderados para encarar os desafios da luta pela Vida, direitos e dignidade de toda pessoa, especialmente adolescentes e jovens vivendo com HIV/Aids. Mais do que nunca: Junt@s Somos Mais!

Parabéns aos nossos Articuladores!!!

_______________


*Segue a íntegra do discurso do jovem Ewerton.


"No dia 28 de maio de 2015 eu fui ao CTA (Centro de Testagem e Aconselhamento) decidido a fazer o teste para HIV/Aids. Já imaginava que a partir daquele dia a minha vida poderia mudar, mas não tinha a noção do quão intensa poderia ser essa mudança. O resultado do teste foi reagente e nos primeiros cinco minutos eu me senti morrer por dentro, como se todos os meus sonhos caíssem por terra. Mas bastaram estes mesmos cinco minutos para que eu me acalmasse e começasse a perguntar à enfermeira sobre o tratamento e a esperança brotasse novamente em meu peito.
Não sei explicar o porquê, mas eu nunca tive problemas em revelar a minha sorologia, salvo para minha família, com quem acredito que deva acontecer uma preparação.
Logo conheci a Rede de Adolescentes e Jovens Vivendo com HIV/Aids (Jovens+Pará), onde fui acolhido com muito carinho por todos. Pude conhecer um pouco mais de minha nova condição de saúde e quebrar estigmas que uma sociedade ignorante e preconceituosa enraíza em todos nós. Decidi continuar na luta e me empoderar para então acolher e auxiliar novos adolescentes e jovens que venham a ter o diagnóstico positivo para o HIV/Aids e outras DSTs. Como membro da Rede Jovens+Pará fui convidado a participar de um projeto (VIVA MELHOR SABENDO JOVEM) que teria como objetivo trabalhar a conscientização de adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social, assuntos ligados diretamente ao seu cotidiano, as suas vidas, como forma de empoderá-los e desta forma torná-los protagonistas de suas vidas, conhecedores de seus direitos e transformadores de seus futuros.
A minha experiência no projeto pode ser resumida em uma palavra: EVOLUÇÃO.
A cada Oficina com os jovens protagonistas do projeto eu pude sentir a evolução; em cada abraço, cada sorriso, cada esperança, cada lágrima e até cada desavença eu pude sentir o coração pulsar mais forte sabendo que estaríamos responsáveis pela transformação de vidas!
O projeto VMSJ é importante na luta ao combate a todo tipo de preconceito, seja ele de cunho sexual (ligado principalmente à comunidade LGBT), ligado às condições de saúde, racial, religiosa, dentre outros. E ainda na construção do processo de protagonismo juvenil e cuidado para consigo.
Trabalharemos com ações de testagem para as principais DSTs (HIV, Sífilis e Hepatites B e C) e a partir destas iremos acolher os adolescentes e jovens com resultado reagente para que possam aderir de forma correta e continuem com o tratamento, adquirindo uma melhor qualidade de vida e desconstruam a ideia de que um resultado positivo é o fim, pois na verdade é um novo recomeço. E a partir das experiências de pessoas Vivendo, possamos alcançar o começo de uma nova fase: a conscientização e o respeito de pessoas afirmarem que viver e conviver com HIV/ AIDS é possível, o que mata mais é o preconceito!
Afirmo que a PLATAFORMA DOS CENTROS URBANOS e o projeto VIVA MELHOR SABENDO JOVEM é uma iniciativa inovadora na região de Belém e distritos administrativos e que com toda a certeza terá um grande impacto na vida de muitos adolescentes e jovens que a partir das oficinas nas escolas e de todas as ações do projeto tomarão novos rumos que transformarão a sua realidade.

Aproveitando este momento especial e marcante, representando a Rede Nacional de Adolescentes e Jovens Vivendo com HIV/Aids ou Jovens + Pará, que já atua no Estado desde 2009, gostaria de destacar, chamar atenção para alguns aspectos:

1) Mesmo após esses meses de formação, a nossa Rede de Adolescentes e Jovens ainda não tem um espaço para se reunir. Temos que contar com o apoio das ONGs parceiras que nos cedem seus espaços, mas não é o ideal, já que essas ONGs já tem seus próprios desafios e custos. Gostaríamos de que nossos gestores se sensibilizassem. Não é nada mirabolante. Uma sala ou auditório para uma ou duas reuniões por mês, para interação, discussão entre PARES. É fundamental fortalecer os grupos e Redes de apoio;

2) É URGENTE fortalecer os SAEs - Serviços de Atendimento Especializado - que estão na capital do Estado. Muito mais do que reformas físicas, estruturais, precisamos fortalecer estes espaços. A partir do Viva Melhor Sabendo Jovem, inúmeros adolescentes e jovens descobrirão sua sorologia pra HIV, Sífilis e Hepatites B e C e serão inseridos nestes serviços de saúde. Acompanhemos com redobrado cuidado, pois há alguns espaços saturados. Fortalecer os SAEs e, em breve, descentralizar o atendimento aos usuários pode ser um bom ponto de partida para uma Efetiva Política Pública de Aids em Belém.
Temos certeza esta política vai acontecer e que faremos parte desta construção, afinal, fazemos parte do Acordo de Paris, assinado pelo nosso Prefeito Zenaldo Coutinho, no dia 10/12/2015, momento em que aconteceu o lançamento deste projeto em Belém do Pará. Nos comprometemos com a meta global 90-90-90 e precisamos acelerar essa resposta contra a AIDS e as infecções que mais atingem a nossa juventude;

3) Gostaríamos de, como Rede, lembrar de tantos adolescentes e jovens espalhados pelos 144 municípios do Pará e que merecem, anseiam e precisam que projetos como este alcance seus municípios, chegue até as suas vidas. Se tivermos, pelo menos, dez jovens articuladores e reeditores em cada município, teremos um grupo de 1.440 adolescentes e jovens. Impossível? Sonho?
Esta noite, este grupo lindo de 32 adolescentes e jovens são um Sinal de que tudo isso é possível. Vamos multiplicar, reeditar, acolher, transformar mais jovens Vidas!

Para finalizar, gostaria de frisar que aqui nesse grupo estão jovens LGBT, negros, trans, jovens vivendo com HIV, estudantes, acadêmicos, desempregados, da periferia, da Pratinha, Terra Firme, Icoaraci, Guamá, Condor, Cremação, Bengui, Barreiro, entre outros... Adolescentes e Jovens empoderados, aptos e sedentos de construir uma nova história. Em suas vidas, nas vidas de seus pares, em Belém, no Pará e no Brasil inteiro.

Obrigado."


_________________

www.facebook.com/JovensMaisPara
rnajvha.pa@gmail.com