Cura Social

A Cura Social é o segredo para a cura no aumento do HIV

Após 35 anos que o primeiro caso de AIDS foi noticiado no mundo, após o período que novas tecnologias de tratamento chegaram ao país, após a AIDS deixar de ser conhecida como a peste gay, ela passou a ter maior incidência entre nós população jovem em especial na população em maior vulnerabilidade social!

Grupo de risco? Comportamento de risco? Vulnerabilidade e risco? Temas polêmicos como estes nos deixam sempre com a culpa ou com o sentimento de inferiorização diante dessa epidemia que vem ainda nos dias de hoje sendo a segunda maior causa de morte entre adolescentes no mundo!

Durante anos me perguntei se eu era culpado por ter me infectado com o vírus HIV, durante anos me lamentei principalmente pela infecção social que o vírus por si só provocou, hoje tenho plena consciência que essa infecção não é proveniente da minha culpa por ter assumido o risco em uma situação comportamental, ela é proveniente da mais pura falta de informação, da homofobia, e da falta de educação sexual na escola.

Enquanto os governos não pararem para perceber que é preciso curar as causas secundárias para ai sim controlar a epidemia, nunca teremos um controle eficaz da AIDS, continuaremos enterrando nossos amigos, nossos irmãos e a nós mesmos.

O Brasil vem se retornando a lanterna do tratamento de qualidade com novos medicamentos, novos meios de prevenção, mas ainda falta muito para curar a doença social que vem através do estigma e discriminação causada pelo HIV, falta muito para difundir que os indetectáveis apresentam menos risco que aqueles que desconhecem sua sorologia (Indetectável: pessoa em tratamento com carga viral indetectável, risco de transmissão de menos de 2% praticamente nulo).

Por fim para realmente vencermos essa infecção social chamada estigma e preconceito, precisamos abraçar a causa da informação, da resistência e da luta por direitos, não nos curvar aos preconceitos, seguindo firmemente em busca de uma sociedade equânime.